Cachorro chama a atenção em voo. Saiba quando o seu cachorro pode viajar na cabine.

Um cachorro na cabine chamou a atenção em um voo entre Miami e São Paulo, da companhia Latam.

aviao_1

O passageiro que tirou a foto disse que, a princípio, a presença do peludo provocou confusão entre os outros passageiros do voo. As pessoas estavam questionando como era permitido que um cachorro de porte grande viajasse no colo do dono.

“Imagina abrir a comida ao lado de um cachorro na classe econômica, que é super apertada? E se a dona quiser ir no banheiro? E se o cachorro quiser ir no banheiro e não avisar?”, disse o passageiro, que preferiu não se identificar.

Segundo ele, a tripulação realocou ocupantes de poltronas vizinhas em outros lugares.

Apesar do desconforto e da surpresa de alguns passageiros, é comum cães viajarem na cabine dos aviões. Nesse caso específico, o cachorro era um cão de assistência emocional; que dão suporte, principalmente, para pessoas com diagnóstico de ansiedade ou depressão.

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) permite que esses tipos de animais, inclusive cães-guias, viajem na cabine, sem custo. Eles devem ser treinados, estar identificados e usando coleira. Eles não precisam estar usando focinheira.

Algumas empresas permitem que cães de porte pequeno viajem com os donos, em caixas de transporte acomodadas sob os bancos. Em outros casos, os animais são transportados no porão do avião e as orientações sobre os procedimentos variam entre as companhias aéreas.

A empresa Latam Brasil informou que o serviço de acompanhamento de cão-guia ou de assistência vale para todas as rotas, mas depende das restrições sanitárias estabelecidas pelos países de partida, chegada ou conexão.

O passageiro deve encaminhar para a companhia uma declaração médica com o diagnóstico indicando a necessidade do acompanhamento animal até 72h antes da viagem para avaliação.

“O animal deve estar utilizando coleira ou guia peitoral na viagem e deve viajar junto com o passageiro, sem obstruir os corredores ou saídas de emergência. Nos voos saindo do Brasil, não é permitido que o cão-guia use focinheira, mas é recomendável levá-la por precaução”, diz a nota da companhia.

Via: Folha

Comente

Comente

Your email address will not be published.

Siga nosso Instagram



A Enciclopédia Animal!